Move It Sports

Página inicial Move It Sports
 

Corrida e caminhada

A recuperação pós-corrida

Compartilhe

  • Facebook oficial Move It Sports
  • Twitter oficial Move It Sports

Redator - 25/04/2014 14:44


 

     Na preparação para uma corrida, devemos ter em mente que a recuperação é parte fundamental para progredir nos treinamentos e obter um bom desempenho no dia da prova. No entanto, muitas pessoas ainda acreditam que a  quantidade de treinamento é o fator determinante para progredir. Se você é uma delas, fique atento, treinar forte todos os dias pode não ser a melhor estratégia. Além de oferecer riscos pela falta de recuperação adequada do organismo.

 

     Para levarmos nosso corpo a um nível superior de treinamento, precisamos desafiá-lo com estímulos variados. Estes estímulos promovem adaptações fisiológicas específicas, que nos possibilita obter o melhor resultado na corrida. No entanto, estas adaptações só ocorrem com períodos de recuperação apropriados.

     

     Durante uma corrida intensa, por exemplo, os músculos iniciam um processo de desgaste que pode se estender até horas depois do término da prova ou treino. Neste cenário dois fatores são determinantes para preparar estes músculos para uma nova corrida intensa: a ingestão de nutrientes certos; e o tempo adequado de recuperação, que pode ser ativa ou passiva. Na recuperação ativa, atividades físicas com intensidade e duração reduzidas são realizadas , possibilitando a recuperação das estruturas. Esta recuperação pode levar alguns dias até que o corpo esteja pronto para uma nova corrida forte. A recuperação passiva consiste em interromper brevemente a rotina diária de treinamento, para permitir a recuperação completa.

 

     Além dos músculos, tendões, ligamentos e articulações também precisam se recuperar para manter o corredor o mais distante possível das indesejadas lesões. Portanto, se você está apresentando sinais como cansaço excessivo e anormal, redução de performance, elevação da frequência cardíaca de repouso, falta de vontade de treinar, dificuldades para dormir, dores nas articulações e/ou ossos, dentre outros sintomas, tome cuidado! Você pode estar treinando em excesso ou dando pouco intervalo de recuperação entre treinos intensos. Procure sempre ajuda profissional para montar uma rotina de treinamento mais adequada ao seu estilo de vida.

 

*Marcelo leal Larciprete tem licenciatura plena em Educação Física e Mestrado em Ciências

 

Fotos

 

Leia mais

 
1 2 3 > >>

Siga o Move It Sports no Twitter

Curta-nos no Facebook

Receba as novidades por e-mail:

 
Site desenvolvido pela Ato Interativo Agência Web